sábado, 14 de março de 2009

Método para alfabetizar?

Queridas,
resolvi escrever sobre este tema porque tenho percebido um discurso muito autoritário com relação a métodos. Diz-se que este ou aquele é melhor e automaticamente se exclui o outro como forma eficaz de alfabetização.
Os teóricos têm que vender seu peixe e criticam de forma autoritária outros métodos. O que posso dizer como alfabetizadora que todos os recursos são válidos. Isto só depende do aprendizado da criança.
Quando comecei a dar aula, me jogaram numa sala de 1.º ano e como não tinha prática principalmente identidade em meu trabalho, apelei para a forma como eu fui alfabetizada, tradicionalmente no be-a-bá. Com o passar dos anos comecei a amadurecer e escolher melhor os caminhos pelos quais podia alfabetizar.
Hoje nem 8 e nem 80. Alfabetizo conforme a turma e a necessidade. Gosto de trabalhar com textos e produções e percebo uma motivação maior por parte dos alunos neste tipo de trabalho. O trabalho de coordenação também foi reciclado. Nada de cópia, agora recortes e dobraduras ajudam o aluno a desenvolver sua coordenação motora fina.
Mas isto não significa que descartei o antigo. Dou abertura para o novo, mas se vejo a eficácia para alguns no método antigo, por que não?
Não sei vocês, mas cheguei a conclusão de que todo radicalismo é ruim para a sociedade. Vejam aí os péssimos resultados da progressão continuada. Alguns alunos não sabem sequer escrever um bilhete. Você não pode excluir o aluno quando o coloca em uma turma com dificuldades. Mas não se esqueça que estará excluindo socialmente quando ele chegar num 5.º ou 6.º ano sem saber sequer ler uma linha de um texto.
O que vocês acham?

5 comentários:

Anônimo disse...

ACHEI MTO NTERESSANTE A FORMA DE ABORDAR O TEMA, ESTOU TRABALHANDO ISSO COM MEUS PROFESSORES, ABRAÇOS CARMEN

Anônimo disse...

Adorei seu comentario sobre letramento,estou fazendo este curso, Parabéns.Cleusa 17 de março de 2009 9:25

Nana disse...

Concordo com você em número, gênero e grau!
Beijos!

Anônimo disse...

Adorei o que colocaste veio ao encontro do meu pensamento espero que um dia as coisas melhorem. Eni

Rosangela disse...

O que se observa é que alguns profissionais da educação tem a cocepção que alfabetização estar relacionada somente com alunos de 6anos e se excluir esse aluno porque não conseguiu um grande avanço,então acontece o que vc afirma.
abraços Rosangela